Würfel mit CMS

Escolher um CMS

 

Um Sistema de Gestão de Conteúdo (CMS) para Digital Signage é comummente percebido como uma aplicação de software que atribui conteúdo agendado a um ou mais displays.

O CMS não só exibe conteúdo tendo em conta o melhor horário para obter ROI (também conhecido como dayparting, uma estratégia de segmentação eficaz); de facto, é a plataforma de back-end (geralmente ignorada por não estar em contacto com a audiência) que será utilizada sempre que houver atualizações ou alterações ao conteúdo.

Uma definição de expectativas clara e realista no que concerne aos resultados de publicidade e ROI serve de base para evoluir. Este elemento pode englobar objetivos de cada área de negócio (desde que impactadas pelo Digital Signage) como a atração de novas audiências – alterar o local ou a altura do dia em que o conteúdo é exibido vai atingir diferentes públicos.

Os elementos fundamentais que deveriam estar presentes na escolha de qualquer Sistema de Gestão de Conteúdo, e que terão o maior impacto na sua seleção, são o definir de objetivos, conhecer a empresa (de modo a prever / avaliar necessidades com precisão) e compreender os custos.

Desde o momento em que existe um objetivo a atingir, começa-se a delinear o plano que o permite concretizar da melhor forma. No que toca a Digital Signage, saber o que se procura agiliza e facilita o processo de decisão, levando à melhor escolha para a sua empresa (escusado será dizer que cada empresa terá necessidades específicas que necessitam de diferentes soluções), devido à superabundância de fornecedores de CMS, cada um respondendo a uma preocupação particular melhor do que os restantes.

É necessário saber o que está a acontecer dentro da empresa – é necessário perceber o que se está a vender (o produto), porquê (a PUV – Proposta Única de Venda) e a quem (a base de clientes ou público-alvo), o que será útil na definição de certos detalhes (como a localização do anúncio, já que o local influencia a audiência atingida), de modo a maximizar o ROI. Relativamente ao produto, há diversas variáveis interessantes a considerar, que podem revelar-se surpreendentes. Por exemplo, se os seus clientes estiverem a descobrir novas utilizações para um produto particular (e se houver algum investimento aplicado, os resultados podem ser muito gratificantes) será possível expandir a base de clientes para incluir aqueles que utilizam o produto com apenas um fim (dos vários que possui), resultando num aumento das vendas com o mesmo produto. Destaca-se a capacidade de segmentar anúncios de modo a atingir determinados clientes (atuais ou potenciais).

Em suma, é necessário conhecer o produto, a empresa e o cliente, de modo a maximizar o Retorno do Investimento de cada anúncio.

O terceiro aspeto a considerar – e que irá geralmente liderar a escolha – é o custo. Os custos (ocultos, evidentes, de pagamento único, mensal, anual, etc) podem aumentar significativamente depressa, quando se trata de um CMS. O tamanho atual da rede, tamanho futuro planeado / aspiracional, a quantidade de ecrãs e sua localização, por exemplo, serão fatores a impactar o custo final.

Pensar sobre a empresa daqui a 1, 2 e 5 anos também terá impacto na escolha, já que há sistemas mais fechados do que outros, dificultando o processo de transição de um CMS para o seguinte; sendo também relevante considerar a receita provável proveniente dos anúncios – realçando a importância de conhecer o seu público e suas características. Isto permitirá uma melhor segmentação, a derradeira barreira no que concerne a maximizar o ROI de uma campanha publicitária.

 

Desta análise espera-se obter o (efetivo) tamanho da empresa, a quantidade pretendida de anúncios (por semana ou mês) a exibir, podendo auxiliar a esclarecer o porquê de o ROI dos anúncios ainda se encontrar aquém dos resultados esperados. A área de saber da equipa responsável pela plataforma de CMS deverá também impactar a escolha, já que diferentes funções dão prioridade a diferentes funcionalidades – enquanto um designer gráfico poderá valorizar a personalização e legibilidade do layout, um copywriter poderá dar mais ênfase à facilidade de gestão do conteúdo.

 

Escolher um CMS errado pode vir a ser um erro dispendioso, contudo, selecionar a plataforma mais adequada pode revelar-se um ativo de negócios e tecnologia inestimável para sua organização.

 

 

Beatriz Eiras

Sorry, the comment form is closed at this time.